Teresina

MST divulga nota em apoio a estudantes camponeses no Piauí; entenda!

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) divulgou nota em apoio a estudantes do Piauí. Segundo informaram, estes estudantes estão sendo perseguidos ao ponto de serem denunciados e indiciados, por depredação do patrimônio público.

O caso se refere a um ato público na reitoria da Universidade Federal do Piauí para cobrar a emissão de editais convocando novos vestibulares para cursos destinado aos povos do campo, este processo estava parado a mais de dois anos.

O ato foi realizado no dia 8 de agosto do ano passado e reuniu cerca de 150 estudantes de cursos de Licenciatura do Campo. No mesmo dia os editais foram publicados.

Na tarde desta sexta-feira, 10/08, uma audiência foi realizada entre os estudantes e José Arimateia Dantas Lopes, reitor UFPI.

Confira a nota do MST:

Nota de Solidariedade 

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST no Estado do Piauí vem, através
do seu Setor de Educação em nota pública, repudiar a ação arbitrária e antidemocrática da
Universidade Federal do Piauí em que criminaliza três Estudantes de Licenciatura em Educação
do Campo. 

Compreendemos que os estudantes denunciados e indiciados pelo Ministério Público estão sendo criminalizados, vítimas de uma perseguição política e em postura antidemocrática. Os acadêmicos de Licenciatura do Campo estão tendo seus direitos de livre manifestação pública cerceados. 

O MST Piauí considera esta situação, uma clara tentativa de intimidação a toda e qualquer forma de
mobilização popular que reinvidica o direito democrático à educação pública. O curso de Licenciatura em Educação do Campo é uma política pública de educação de responsabilidade do MEC, em parceria com a Universidade Federal do Piauí. Esclarecemos que a UFPI foi omissa em não publicar dois editais de seleção para formação de novas turmas por dois anos seguidos, o que configurou atraso na oferta de 04 turmas, atrasando o engresso de pelo menos 240 estudantes camponeses no ensino superior.

Diante disso, os estudantes se manifestaram em ato público, pacifíco e democrático em frente à Reitoria em defesa dos editais que são de interesse público. Na tentativa do diálogo os estudantes foram barrados na porta de acesso a Reitoria pelo aparato de segurança da UFPI. 

O MST repudia veemente a tentativa de criminalização dos estudantes das LEDOC que têm sido
porta vozes do protagonismo da luta em defesa da educação pública superior que é um direito e uma política historicamente negada aos camponeses e camponesas desse país. 

Educação é direito, não mercadoria!

MST – Piauí


Fonte: MST

Related posts

Dois homens ficam feridos após colisão na Avenida Raul Lopes

Moisés Costta

Greve dos motoristas deixa teresinenses sem ônibus

Moisés Costta

População cresce no Brasil: Teresina é a 17ª capital mais populosa, afirma o IBGE

Moisés Costta

Deixe um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.