Educação

Universidades particulares perdem alunos por conta da pandemia

As universidades particulares perderam 265 mil estudantes, que abandonaram o curso ou trancaram a matrícula, nos meses de abril e maio, de acordo com levantamento do Semesp (Sindicato Nacional das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior).

A evasão deste ano de 2020 foi 32% maior, comparada com o mesmo período em 2019, quando foram registradas 201 mil desistências. Segundo a entidade, que representa faculdades privadas no Brasil, o cenário traz outro motivo de alerta: no mínimo 11,3% dos estudantes devem terminar o ano inadimplentes, com ao menos uma mensalidade atrasada.

De acordo com a ABMES (Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior), quase metade dos estudantes de universidades particulares pensam em largar o curso. O diretor executivo da ABMES, Sólon Caldas, comenta sobre a crise gerada nas universidades particulares e explica que as instituições de educação superior estão negociando individualmente com os alunos. Ele informa que o setor educacional superior particular já solicitou do governo federal um Fies emergencial, um financiamento estudantil emergencial para proporcionar aos alunos que tenham perdido o emprego, redução de carga horária ou suspensão do contrato de trabalho, para que eles possam renovar suas matrículas e continuarem estudando nesse segundo semestre. 

Muitos alunos perderam o emprego por causa da pandemia do coronavírus e as faculdades de São Paulo já demitiram mais de 400 funcionários no final de junho.

Com informações de pensarpiaui.

Related posts

Iolene Lima é demitida do MEC oito dias após ser nomeada por Bolsonaro

Moisés Costta

“Democratização do acesso ao cinema no Brasil” é o tema da redação em 2019

Moisés Costta

Fiocruz lança manual de volta às aulas presenciais

Moisés Costta