• Home
  • Polícia
  • Procurador diz que dono de carro irregular é investigado pela Polícia
Polícia

Procurador diz que dono de carro irregular é investigado pela Polícia

Em um áudio atribuído ao procurador Regional Eleitoral, Patrício Noé que circula nas redes sociais ele afirma que sua atuação foi técnica e sem excessos a respeito de um vídeo divulgado nessa terça-feira (02) em que ele aparece gritando com um dono de um veículo adesivado com imagens do presidenciável Jair Bolsonaro.

Patrício Noé (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Noé explica ainda que o proprietário do veículo modelo Ford/Galaxie Ano 1979/1979, o empresário Thiago Junqueira, é alvo de uma investigação da Polícia Civil em um esquema de corrupção e venda de licenças da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMAR) e tem processos na Justiça.

Veja o vídeo abaixo:

“A minha atuação foi técnica, eu não cometi nenhum excesso. Quem está errado é ele tanto porque essa ação já está na Justiça e ele inclusive já tirou os adesivos e trocou porque sabe que está errado e tem o rabo preso na Justiça. Ele tá envolvido em uma investigação da Polícia Civil em um esquema de corrupção e venda de licenças ambientais na Secretaria Estadual do Meio Ambiente e foi preso”, trecho do áudio compartilhado nas redes sociais.

Foto: Reprodução/Internet

No áudio o procurador relata que o carro estava com adesivo irregular em tamanho superior ao permitido e não apresentava a identificação do CNPJ da gráfica, o número de tiragem e o número do candidato, exigências impostas pela legislação. Ele ressalta ainda que essa infração já estava sendo investigada inclusive com um processo em aberto.

Segundo Patrício Noé, sua atitute foi necessária devido ao desacato sofrido por parte do proprietário do veículo.

Ouça o áudio abaixo:

Matéria relacionada: Procurador aparece em vídeo gritando para homem remover adesivo de Bolsonaro de veículo

Fonte: AZ

Related posts

Jovem tem 80% do corpo queimado após incêndio; namorado é suspeito

Moisés Costta

Coletivos temem aumento de feminicídios com flexibilização de posse de arma

Moisés Costta

Aposentada de 55 anos é morta com um tiro durante assalto na zona rural de São Pedro

Moisés Costta