Política

Crises internas e cortes na Educação impulsionam desaprovação de Bolsonaro

Startup Arquimedes, especializada em análises políticas por meio das redes sociais, destaca que a alta na desaprovação ao governo, que passou de 26% para 31%, se deve, prinipalmente, às crises entre o astrólogo Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro, e os militares, além dos cortes de verbas anunciados recentemente para a área de educação.

A startup Arquimedes, especializada em análises políticas por meio das redes sociais, destaca que apesar da alta da desaprovação ao governo Bolsonaro ter subido significativamente, conforme a última pesquisa do mercado financeiro XP/Ipespe (leia no Brasil 247), que mostra que a aprovação ficou estável em 35%, em comparação ao registrado em abril, enquanto o percentual dos que acham o governo ruim e péssimo passou de 26% para 31%, se deve a uma migração dos que antes se consideravam neutros para a faixa dos que agora desaprovam a atual gestão.

De acordo com a coluna da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, o Índice de Sentimento Arquimedes (ISA) caiu de 48 pontos positivos, registrados em janeiro, para 39 em maio. A razão para esta migração estaria ligada às crises geradas pelo astrólogo Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro, e os militares que integram o governo, além dos cortes de verbas anunciados recentemente para a área de educação.

Fonte: Brasil 247

Related posts

Governador segue determinação do PT nacional e foca na eleição de prefeitos

Moisés Costta

Congresso estuda 1º turno da eleição em 15 de novembro ou 6 de dezembro, diz Maia

Moisés Costta

Ministério Público dá aval a deputado preso tomar posse na Assembleia do Rio

Moisés Costta