Política

Joice Hasselmann diz que o Planalto está envolvido no esquema de fake news

 A ex-aliada do presidente Bolsonaro, deputada federal Joice Hasselmann (PSL/SP), se pronunciou sobre a operação da Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (27), que tem como alvo suspeitos de atacar ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) com notícias fradulentas. A parlamentar reafirmou que o disparo em massa das notícias falsas em redes sociais é ligado à família Bolsonaro. A deputada já havia denunciado o fato na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News no Congresso. 

Hasselmann diz ainda que o esquema consome dinheiro público, além do financiamento privado de empresários que vão com frequência ao Palácio do Planalto. E que o filho do presidente da República, Carlos Bolsonaro, é quem comanda o apelidado “gabinete do ódio”, onde funcionaria “uma mília digital” com o apoio de outros políticos, assessores parlamentares, empresários e blogueiros.

A líder do PSL na Câmara finaliza relatando que Bolsonaro teria interesse em inteferir na PF para proteger os filhos e amigos, que são alvos de operações em curso.

VEJA A NOTA NA ÍNTEGRA:

O esquema de produção de ataques e mentiras contra adversários políticos e a democracia requer uma estrutura robusta que, além de consumir dinheiro público de gabinetes de políticos ligados a família Bolsonaro, conta com financiamento privado de empresários com trânsito constante no Palácio do Planalto. O aprofundamento das investigações chegará, inevitavelmente, ao chamado Gabinete do Ódio, uma espécie de “puxadinho” do gabinete presidencial, de onde Carlos Bolsonaro comanda uma verdadeira milícia digital, que inclui políticos, assessores parlamentares, empresários e blogueiros. Fica também evidente o motivo do desespero do presidente Jair Bolsonaro em interferir na Polícia Federal para, segundo o próprio, proteger seus filhos e amigos de operações em curso, o que, por si só, já se configura em crime de obstrução de justiça.

Fonte: meionorte

Related posts

PT quer eleger 50 prefeitos e definir nomes até novembro

Moisés Costta

Site coloca Ciro como provável candidato à presidência do senado

Moisés Costta

Bolsonaro não deve mais participar de debates com adversários

Moisés Costta